Sobremesa de Abóbora e Chocolate



Porque passa o tempo tão rápido? Cada vez mais rápido, quase não tenho a sensação de nada no meio dos dias que passam a correr. Passou o verão sem férias, chegou o outono e em breve já é natal. Parece que já vejo o fim ao ano. Um ano que passou depressa, mas demasiado sentido. Sinto-me tão confusa e perdida. De verdade. Lutei mais do que alguma vez lutei, e mesmo assim sinto que parte de mim se perdeu neste ano.

Não gosto desta sensação, de me perder. Tenho dificuldade em encontrar o eu, o eu mais feliz. O eu que sabe que vai ficar tudo bem e me acalma. Mas como chegar até esse lugar? Ando numa caminhada longa, em todos os sentidos. Corpo, mente e alma. Para que o lutar faça sentido e para que o eu se encontre. Por razões de saúde, tudo foi adiado e fiquei com a vida estagnada. Passei a viver um dia de cada vez. Talvez por isso pense mais em como me sinto, não só fisicamente, mas também emocionalmente. No que me faz mais feliz. No que quero para a minha vida.

E talvez por isso também, vivo mais o momento presente. Celebro as pequenas coisas. As pequenas vitórias e as pequenas conquistas. Tudo isso me parece mais importante. E as pessoas, família e amigos, quem tenho ao meu lado sempre, sem me julgar. É com essas pessoas que quero estar, enquanto percorro este caminho incerto e de descoberta pessoal. E quero sempre fazer mais do que me faz feliz, das coisas triviais. Caminhar à beira do mar, ler um livro novo ou antigo, fazer um lanche com os amigos, abraçar a minha gata e a minha avó, meditar e yoga, preparar uma sobremesa e fotografar, fotografar mais. Vou devagar e a sentir tudo pelo caminho. Até me encontrar.









Sobremesa de Abóbora e Chocolate
(receita do blog Floating Kitchen)

2 tâmaras medjool
1 chávena de puré de abóbora assada
1/2 chávena de iogurte grego natural
125 gr de chocolate negro derretido
1 colher (sopa) de cacau em pó
1/2 colher (chá) de canela em pó
1/4 colher (chá) de gengibre em pó 
1/2 colher (chá) de pasta de baunilha
pitada de noz moscada e cravinho
pitada de sal

Topping:
iogurte grego natural
bolachas de especiarias esmagadas (usei speculoos)
chocolate preto picado 


Preparação

Colocar os ingredientes todos num processador de alimentos e triturar até obter um creme homogéneo e sedoso (se as tâmaras estiverem mais duras, colocar em água quente a demolhar por 5 minutos, e usar depois descartando a água). 
Colocar o creme em dois copos maiores e gulosos ou em quatro porções mais pequenas. Cobrir as tacinhas ou copos com película aderente e levar ao frio.
Servir com umas colheradas de iogurte grego, cookies esmagadas e chocolate picado a gosto.

Nota: esta sobremesa é bastante leve e suave, adorei o contraste do creme leve com as texturas dos toppings. Não fica demasiado doce, o que a torna ainda melhor e nada enjoativa. É tão simples de fazer no processador, e ideal para quando temos sobras de puré de abóbora.

Bom Apetite!









Bolo Crumble de Marmelo e Nozes


Outono. Que venha para ficar. Com chuva, folhas no chão, e tons dourados no pomar. Com bolos perfumados com os sabores da estação.
Quando penso no Outono é isto que me vem à cabeça, um bolo no forno que perfuma toda a casa. Esta é altura de recolher, de regressar ao interior e saborear a casa com as coisas boas que trazemos do pomar. As maçãs, as pêras, os marmelos, os diospiros, as romãs e as nozes ganham vida na cozinha. E é tão bom passar o dia a aproveitar o conforto e o prazer de viver devagar, enquanto se prepara um bolo simples, com cheiro a canela e fruta do pomar.

Este bolo de marmelo e nozes é perfeito na sua imperfeição. Rústico e super perfumado, os sabores e a textura são de Outono, são a estação para fatiar. É um bolo ideal para lanches e até pequeno-almoço, delicioso com uma chávena de chá fumegante. 
Um bolo de conforto. Que ficou queimado nas pontas, porque eu sou distraída e até gosto das bordas bastante crocantes.
Que servi num prato lindo, oferecido por uma pessoa tão doce e especial como a Patrícia do Coco e Baunilha. Ela que me inspira tanto.
E que partilhei com a minha família e amigos do coração, que tenho a sorte de ter aqui tão perto.








Bolo Crumble de Marmelo e Nozes
(receita adaptada do blog Vegetarian Ventures)

1 chávena de farinha trigo
1 chávena de farinha de trigo integral
1 colher (chá) de fermento
1 colher (chá) de canela
pitada de sal
2 ovos caseiros
1/2 chávena de açúcar mascavado
1/2 chávena de maple syrup
1 chávena de iogurte grego natural
1/3 chávena de azeite suave

Para o topping:
2-3 marmelos descascados e fatiados finamente
1/2 chávena de açúcar mascavado
1/2 chávena de farinha trigo
pitada de canela
1/4 chávena de nozes picadas
1/4 chávena de manteiga fria e em cubos

Para servir:
iogurte grego natural
nozes e canela


Preparação

Pré-aquecer o forno a 180ºC e untar uma tarteira funda ou forma redonda com manteiga e reservar.
Preparar o crumble, misturando todos os ingredientes do topping numa taça, excepto os marmelos, e esfregar com as pontas dos dedos até a manteiga se incorporar nos outros ingredientes e obter algo semelhante a areia grossa. Reservar.
Entretanto numa taça grande colocar os ovos e o açúcar mascavado e bater com a batedeira eléctrica até ficar uma massa espumosa e volumosa, adicionando depois o azeite, maple e iogurte e voltando a bater até ficar homogéneo.
Adicionar depois as farinhas, fermento, canela e sal e envolver muito bem na massa.
Colocar a massa do bolo na forma preparada, espalhar as fatias de marmelo pela superfície, enterrando ligeiramente na massa e por fim colocar o crumble nos espaços entre os marmelos.
Levar ao forno até cozer (teste do palito). Servir morno ou frio, com um pouco de iogurte grego, nozes picadas e salpicado de canela.

Nota:
A meio da cozedura pode ser necessário colocar uma folha de alumínio a tapar o bolo para não queimar. Pode usar maçã (sem descascar) em vez do marmelo.

Bom Apetite!




One Pot Pasta



Estamos em época de transição. De estações. E de sentimentos. Acho que fico muito emotiva nesta transição do verão para o outono. Por um lado não quero que o verão acabe, com todos os seus produtos, legumes e frutas que adoro, não quero deixar de usar sandálias e manga curta ao sol, quero os dias longos e banhos no mar, quero andar lá fora na horta até ser noite e sem frio. Mas por outro lado, chega o outono carregado de emoções, de sensações. Acho que é uma estação de sentir, para sentir na alma, que começa a querer aconchego e conforto. As cores verdes que passam a douradas, os novos produtos da terra, os cheiros que se intensificam com as primeiras chuvas. 

O estar nesta transição de estações que amo deixa-me sempre um pouco nostálgica, deixa-me mais emotiva e atenta às pequenas coisas na terra e no que me envolve. Quero ver tudo em pormenor, quero fazer parte dela, sentir a mudança de forma suave e em modo lento. Viver cada detalhe, cada folha que cai, cada raio de sol que toca nas árvores. Viver o momento, o presente, as pequenas coisas cada vez mais. Cá dentro está tudo demasiado emotivo, mas com esperança. Nesta transição. Em tudo o que está para vir.

E com os primeiros dias mais frescos que anunciam o outono, chega a vontade de uma comida de conforto. Um prato de pasta, prático e rápido, e não menos delicioso. Daqueles que se fazem numa só panela, com tudo ao mesmo tempo porque o tempo foge. Vamos buscar à horta o que resta do verão, as últimas curgetes e os últimos tomates maduros e colocamos tudo na panela de ferro da Staub. Deixamos cozinhar, criar um molho bem cremoso e servimos bem quente com queijo ralado na hora. Delicioso e perfeito para as noites frias desta transição. 








One Pot Pasta (de Verão)

300 gr de massa talharim (ou outra)
1 cebola roxa fatiada
1 dente alho fatiado
2 tomates chucha fatiados e em cubos
1 chávena de tomates chucha mini
4-6 cogumelos frescos fatiados
1/2 curgete verde fatiada
1/2 curgete amarela fatiada
sal q.b.
azeite q.b.
manjericão fresco q.b.
500-600 ml de água quente
parmesão ralado q.b.


Preparação

Numa panela bem larga colocar a massa inteira ou partida ao meio, a cebola, alho, tomates, cogumelos e curgetes. Salpicar com um pouco de sal a gosto, um fio de azeite e algumas folhas de manjericão. Colocar ao lume e ao mesmo tempo adicionar a água quente, de forma a que fique quase tudo coberto de água mas sem exagero (para não ficar demasiado aguado no fim da cozedura). Tapar e deixar ferver. Passado um bocado retirar a tampa da panela e ir mexendo ocasionalmente, deixando cozinhar por uns 10 minutos, até a massa cozer, a água quase desaparecer e se formar um molho cremoso com o tomate.
Fora do lume ralar parmesão a gosto e envolver na massa.
Servir de imediato com manjericão fresco, tomate mini chucha e mais parmesão.

Bom Apetite!